domingo, 20 de dezembro de 2009

Bipolar


Aprendizagem: o veículo que transportou o homem, das cavernas às conquistas científicas mais significativas.

Até pouco tempo, tinha-se, por idéia de aprendizagem, o somatório dos três clássicos fatores: Aquisição / Atenção / Memória, cujo resultado era observado por mudanças de comportamento, numa clara valorização do “produto final”, sem levar-se em conta os mecanismos funcionais responsáveis por este que é, sem dúvida, o mais importante evento neurológico, experimentado pelo ser humano e portanto diretamente responsável pelo seu posicionamento no topo da cadeia evolutiva dos vertebrados.

À luz das pedagogias progressistas praticadas hoje, não mais se concebe tentar explicar o processo da aprendizagem, sem o estudo do cérebro e da mente do ser humano, interagindo com o seu corpo, através dos seus neurônios e sinapses, numa verdadeira trama neurológica que arquiteta todo o comportamento humano e, por vias de conseqüência possibilita a aquisição da aprendizagem significativa, que tem na sintaxe seu maior elemento propulsor.
Quando solicita-se à uma criança que “chute aquela bola”, e somos atendidos, observa-se aí a realização imediata de uma sintaxe e uma paráfrase, pois a solicitação foi compreendida e repetida por uma outra forma de linguagem. Neste procedimento foram envolvidos vários sistemas funcionais cerebrais, responsáveis pelas percepções, associações, elaboração e execução do comportamento, numa verdadeira orquestração psicomotora, operada, de acordo com o nível de desenvolvimento cognitivo e motor do indivíduo.

Tão importante quanto os mecanismos neurológicos, dentro do processo de aprendizagem, encontra-se a hoje chamada economia corporal, que trata das relações do indivíduo com o seu corpo, relações estas desenvolvidas logo após o nascimento, através de conforto tátil, estabelecido pela relação mãe/filho e desenvolvida ao longo dos estágios do comportamento humano, pela qualidade das vivências experimentadas pela criança, o que possibilitará uma estabilidade entre os pilares motor, afetivo e cognitivo, por um auto-conhecimento positivo e estável e uma auto-confiança que permitirá encarar a bipolaridade do processo de aprendizagem, ou seja, seus momentos de facilidade e momentos de dificuldade, valorizando sempre o ato de tentar, pois através da tentativa é que se atinge o êxito.

Prof. Emanoel Cunha Rio Lima - Educador Físico e Psicopedagogo.

0 comentários:

 

My Blog List

Seguidores

Folha de Batalha © 2009 Designed by Ipiet Customizado por Manoel Filho