terça-feira, 15 de dezembro de 2009

O que comemorar no aniversário de Batalha


É certo que Batalha já tem mais de 02 séculos de existência. Surgiu no final do século XVII com as entradas de aventureiros portugueses vindos da Bahia e Pernambuco em perseguição aos índios para limpar ao terreno e implantar os currais de gado. Falta muita pesquisa para se saber realmente a historia dos primórdios de Batalha. Criou-se o mito fundador de uma batalha entre portugueses e indígenas no local, e que sob as bênçãos de São Gonçalo os portugueses vencem e instalam a povoação de Batalha de São Gonçalo. De fato a historia oficial, e do ponto de vista da conquista é esta versão que convence e está impregnada na historiografia e no nosso imaginário. Poderíamos questionar esta versão por várias razões. Particularmente não estou convencido de ela seja verdadeira. Primeiro porque os portugueses não eram tão religiosos, não vieram catequizar e nem implantar um sistema religioso, mas procuravam riquezas. É bom lembrar-mos que nesse período Estado e Igreja eram a mesma coisa. Não estou certo, de que existia mesmo uma tribo indígena onde se funda a povoação de Batalha. Sabe-se que existia uma nação indígena na região, os alongazes, no entanto não se sabe exatamente onde estavam suas tribos, muito provavelmente às margens do rio Longá.

A povoação de Batalha começa levando o nome de freguesia de São Gonçalo, a denominação Batalha surge posteriormente. Há outras cidades no Piauí com o nome de São Gonçalo, e outras cidades que lhe tem como padroeiro, por isso acredito que se trata de uma homenagem ao 2º governador do Piauí, Gonçalo Lourenço Botelho, que governou o Piauí por 14 anos, de 1761 a 1775. No governo deste houve a maior perseguição e quase dizimação dos índios piauienses. Foi no governo deste que foram implantadas as primeiras charqueadas nas margens do rio Parnaíba e varias cidades foram interligadas à capital Oeiras pelo correio. São ações que requeriam adentrar no território indígena para implantar fazendas de gado e passagens para os mensageiros dos correios. Isto logicamente perturbava os nativos e consequentemente levou as lutas dizimatórias da sua população. Por outro lado, existe em Portugal uma vila com o nome Batalha desde o ano 1300, e que tomou este nome por ter havido ali uma luta entre portugueses e mulçumanos. Pode ser que Gonçalo Botelho seja natural deste local em Portugal. Por tanto penso que Batalha está restrita a uma homenagem a Gonçalo Lourenço Botelho, por sua determinação de massacrar os índios e surgir uma civilização de fazendeiros de gado. É apenas uma hipótese.

Não há duvida de que Batalha sempre esteve subordinada a outros municípios, especificamente Piracuruca e Barras, e só teve sua emancipação nos anos 30 do século XX. Nosso município de uma forma ou de outra sempre esteve dependente de outras cidades. Na história recente há uma ligação de “dependência” com Esperantina, que conseguiu se tornar um pólo regional, e Batalha se atrasando. Nosso município se atrasou muitos anos com relação aos demais municípios da região. Não há espaço aqui para detalhar os motivos. No entanto temos muito a comemorar, as nossas belezas naturais, o nosso patrimônio histórico e cultural, a festa do bode e o festival junino que inseriu Batalha no calendário festivo e turístico do Piauí, os nossos poetas, músicos e artistas. Se tiver uma coisa que devemos comemorar nesta data é o nosso povo, forte, lutador, filósofo. Tomo as palavras de nosso poeta maior Nicodemos Rocha, que no último estribilho do Hino de Batalha, como nenhum outro expressou a natureza do Batalhense:

Batalha marcha avante com firmeza
Lutando para ser sempre melhor
Teu nome já reflete tua grandeza
Que em cada geração será maior
Teus filhos preparados pra peleja
Avançam com o triunfo em cada mão
É a chama da certeza que flameja
No coração do infante ao do ancião

Valfrido Viana (Historiador)
valfridopi@yahoo.com.br.

0 comentários:

 

My Blog List

Seguidores

Folha de Batalha © 2009 Designed by Ipiet Customizado por Manoel Filho